Laços de Família

Durante estas três semanas, voltei a sentir o gostinho de co-habitar debaixo do mesmo tecto que a família, apesar de ter sentido a falta do West.é muito bom ter uma família como a minha…principalmente depois de ouvir histórias das outras! E, realmente, quem tem família, tem tudo.

Reparem no que podem fazer, se tiverem ido comprar legumes e a vossa mãezinha sacar umas notinhas ao piano:

E, já dizia a outra: de pequenino, se torce o pepino…ou a cenoura, como queiram…

Foi uma noite boa

Estávamos nós no Pátio, a bebericar alguma coisa, quando me fizeram uma proposta que nunca recuso, para rever um filme que estava perdido nas gavetinhas da memória:

 

.

Querer esquecer para viver a mesma coisa. Eu também quero, sem corrigir os erros que sei que cometi. Só me arrependo do que não faço

Pedaços de Mim

 

Eu sou feita de
Sonhos interrompidos
detalhes despercebidos
amores mal resolvidos
Sou feito de
Choros sem ter razão
pessoas no coração
atos por impulsão

Sinto falta de
Lugares que não conheci
experiências que não vivi
momentos que já esqueci

Eu sou
Amor e carinho constante
distraída até o bastante
não paro por instante


Tive noites mal dormidas
perdi pessoas muito queridas
cumpri coisas não-prometidas
Muitas vezes eu
Desisti sem mesmo tentar
pensei em fugir,para não enfrentar
sorri para não chorar

Eu sinto pelas
Coisas que não mudei
amizades que não cultivei
aqueles que eu julguei
coisas que eu falei

Tenho saudade
De pessoas que fui conhecendo
lembranças que fui esquecendo
amigos que acabei perdendo
Mas continuo vivendo e aprendendo.

Martha Medeiros

Andamos todos numa casa ao nosso lado…

O cheiro do mar. Do sargaço.A areia suja do pó das saudades. A nortada. As vozes a desdobrarem-se em histórias.

Tantas vezes choradas, as histórias de estar longe. As histórias que te fazem doer até a vida, porque não as viveste. Que te fazem sentir saudades até daquilo que não viveste.

E as casas, sempre as casas. As casas da alma. Quantos andares tem a alma?

E já dizia a  canção…. Andamos todos numa casa  ao nosso lado…

omnipresenças

Amar assusta. Porque faz com que nos sintamos nus. Amar alguma coisa significa entregar-se por inteiro, completamente, sem reservas.

 

Há diferentes formas de amar e podemos amar um pouco de tudo. Amar uma pessoa é  só um lugar -comum. Podemos amar um filme, amar o nosso cão, amar aquela árvore de Natal do shopping, amar o sapato que estava na montra mas que era caro demais para nossos bolsos parcos. Amar a nossa mãe e o nosso pai, que sabem disso mesmo que nunca o tenhamos dito. Amar a simplicidade e a liberdade. Amar o concreto e o abstrato. Amar  os amigos.Amar amar e amar ser amado. Quem não gosta de ouvir? Eu gosto, admito-o. E gosto quando me dizem que amaram o meu vestido de Sábado á noite, também.

 

 Se eu escrevesse dicionários seria esta a minha definição:

 

Amar ( vb. transitivo) O verbo que nunca deve ser evitado enquanto  estamos vivos.

 

Retrato falado

Donzelas medievais

não existem mais

hoje só existe a mulher

castidade e magia

cambraia e cetim.

hoje

vou fazer o retrato falado de mim.

Primeiro salto

oito e meio

vestido pérola

e qualquer coisa enrolada no pescoço

 choque e contraste

segredos mal guardados

tramas de inverno

manhas bem cedo.

Naquela época

eu tinha uma saia acima do joelho

e manias

convem selecionar certas regalias

adoro que me imitem

postura fashion

e transparências

ínvisiveis à noite

impossíveis de dia.

 

Uma mulher são várias e uma só.

Mantenho um certo ar psicodélico

só uso batom e cajal

preto quando estou de preto

azul quando estou de mal

levo pouca coisa na bolsa

e levo sustos

quando me olho no espelho.

Uma mulher é uma só mas são tantas.

 Faço o que todo mundo faz

ultrachique

só mudo os horários

vario os personagens

me divirto mais

ninguem percebe.

Alguem me cobre de flores

e redescubro a criança que está por trás

leio em francês

mal penteio os cabelos

e pago caro por tudo

caso contrário

faria o que todo mundo faz.

Uma mulher é muito mais do que ela sabe ser

E o resto são fantoches

broches na camisa

um clima dark

temperatura amena.

E eu como tantas

serena

me contradigo

não faço o jogo da sedução

mas sei as regras.

E o resto são fetiches

deboches

beijos em clima de happy end

repentes

champanhe às cinco

e assim brinco

pingente

sou eu mesma

esquisita e peculiar.

Uma mulher é uma só e ninguém mais.

 

Martha Medeiros

jo’s

205422sushi_jo_2_cozinha_japonesa

            Jô  & JoJo

Vicky Cristina Barcelona

Mais uma vez, Woody Allen corresponde ás expectativas. Uma tragicomédia que nos faz refletir. E rir. E chorar. Vicky e Cristina são inspiradoras para o bem e para o mal. Não tem como não nos revermos em uma delas, em determinado momento da trama. Situações hilariantes que levantam a mesma pergunta : qual o sentido da vida?

O cenário é lindo, embora seja em terras de “nuestros hermanos”. A fotografia perfeita. As mulheres belíssimas e os homens , nem por isso.

Se não tiverem o que fazer hoje à noite, juntem alguns amigos (só aqueles sensíveis e interessantes, ok?) e vão ao cinema.

E tenho dito.

Simples assim…

coragem

 

 do Lat.  cor, coração

s. f.,

firmeza de espírito, energia diante do perigo;
intrepidez;
ânimo;
valentia;
perseverança.
precisa-se. Alguem vende?

de um amigo

 (escutando Beck – Sea Change)455486878_b8bb37032b_m“Eu compreendo-te.
Tu precisas da revolução das sombras e das silhuetas.
Precisas da revolta do silêncio.

Um conselho: deixa essa pressão a que te fazes submeter e aprecia a expressão da lua.Fá-lo hoje. Obedece-lhe.
Depois, todos os dias.
Sei que consegues. Tens loucura suficiente para tal.

Eu sei.”

(G.N.)

« Older entries